CONHEÇA A ASPAN SABARÁ

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Informações Gerais Sobre Leishmaniose Visceral Canina Prof.M.Sc. André Luis Soares da Fonseca –CRMV/MS 1404 – OAB/MS 9131- e-mail: afonseca@nin.ufms.br


Informações Gerais Sobre Leishmaniose Visceral Canina 
Prof.M.Sc. André Luis Soares da Fonseca –CRMV/MS 1404 – OAB/MS 9131- e-mail: afonseca@nin.ufms.br 


Em  atenção  às  constantes  perguntas  formuladas  em  relação  à  LVC,  é  importante  que  o 
proprietário/veterinário tenha consciência dos seguintes aspectos: 
 1.  A LVC é doença tratável, apresentando cura clínica (desaparecimento de sinais clínicos), mas  dificilmente  apresenta  cura  parasitológica  (o  parasita  não  desaparece  completamente  do organismo do animal/ser humano). Este fato não é preocupante nem incomum, haja vista que em doenças causadas por protozoários, como são as Leishmanioses, a Doença de Chagas e a Toxoplasmose (todas doenças que atingem tanto os homens como os cães) NÃO EXISTE A ELIMINAÇÃO COMPLETA DO PARASITA, seja no cão, seja no ser humano. O homem e o cão  podem  viver  normalmente,  mas  devem  fazer  acompanhamento  periódico  para  que  a doença não volte a se manifestar. 
2.  Existem  diversas  drogas  para  tratamento da  LVC. As  drogas  mais  eficazes  são  também as mais  tóxicas,  podendo  até  matar  o  animal/ser  humano  (anfotericina  B  (Fungisone), antimoniais  (Glucantime  etc)).  Nós  particularmente  utilizamos  drogas  menos eficazes,  mas que também trazem efeitos colaterais menos prejudiciais. 
3.  As  drogas  utilizadas  para  animais  são  as  mesmas  utilizadas  em  humanos,  pois  tais  drogas agem  matando  o  parasita.  NÃO  EXISTE  E  NUNCA IRÁ EXISTIR DROGAS QUE TRATAM SOMENTE A DOENÇA NO CÃO OU SOMENTE NO HOMEM. Recentemente uma portaria dos ministérios da Saúde (MS) e Agricultura (MAPA)vem Tentando proibir o tratamento, mas a proibição se restringe a drogas específicas para leishmaniose de uso e fabricação  para  seres  humanos.  Entendemos  que  o  tratamento  não  está  proibido,  pois portaria não é ato capaz de proibir o tratamento, que só poderia ser proibido mediante LEI. 
4.  O  tratamento  da  LVC  exige  acompanhamento  por  médico  veterinário,  pois  os  remédios usados podem causar problemas sérios e até matar o animal (iatrogenia = doença causada pelo uso de medicamento). 
5.  Como esta leishmaniose é VISCERAL, não é preciso que o cão apresente lesões externas. 
6.  A causa  da morte na leishmaniose, seja  canina, seja humana, é a lesão renal e/ou do  fígado que  podem  se  tornar  irreversíveis;  por  isso,  entendemos  que  deva  ser  PERIÓDICA  E OBRIGATÓRIA  a exigência dos seguintes exames de sangue: Creatinina, Uréia, ALT (ou Fosfatase  Alcalina), Hemograma e Proteinograma (Eletroforese de proteínas).Sendo, possível, sugerimos, ainda, a realização de sorologia “IgM para Erlichiose”, pois cerca de 40 a 80% dos cães com leishmania também desenvolvem a doença do carrapato. 
7.  Estes exames  devem ser realizados a cada 3  ou 4 meses,  OBRIGATORIAMENTE, senão o animal deixa  de  morrer  por  causa  da  leishmania,  mas podemorrer por causa dos medicamentos. As lesões renais e hepáticas, quando instaladas, são praticamente irreversíveis e o animal tende a morrer com visível evolução na perda de peso. 
8. Os medicamentos que utilizamos podem trazer efeitoscolaterais: falta de apetite,diarréia, prostração, perda de peso, vômitos. Nestes casos, a medicação deve ser suspensa e o médicoveterinário responsável deve ser imediatamente informado. 
9.  A medicação realizada pelo proprietário pode trazer efeitos benéficos nos primeiros 6 meses, mas  o quadro  geralmente regride  após este período, principalmente  pela  falta  dos  exames e pelo  uso  errado  dos  medicamentos,  seja  por  causa  da  dose,  seja  por  causa  de  indicação 
inadequada. 
10. O  animal  portador  de  LVC  deve  ser  monitorado  e  tomar  medicamentos  praticamente  pelo resto da vida. Caso venha a se tornar sorologicamente negativo, a medicação contínua poderá ser suspensa, mas o animal deverá continuar a realizar os exames, porém em um intervalo de 
tempo maior (a cada 6 meses a 1 ano). 
11. Raramente ocorrem curas naturais e o tratamento que utilizamos leva à sorologia negativa em apenas  20%  dos casos.  Os  demais  animais  geralmente  ficam  portadores  do  parasita,  mas  a capacidade de transmissão cai quanto menos sintomas forem apresentados. 
12. Os  trabalhos  científicos  claramente  demonstram  que  não  há  correlação  entre  ter  animais portadores  em  casa  e  os  moradores  terem  doença.  Ou  seja,  cientificamente  não  há  risco significativo de se ter um cão portador em casa e deste animal transmitir a doença para 
um morador. Portanto, se você tiver um cão portador em casa, use repelentes nele e em sua casa. O fato de você ter um cão doente em sua casa demonstra claramente que o “mosquito” transmissor está na sua região e da mesma forma que transmitiu a doença para o seu cão, pode 
transmitir a doença para você e para sua família. Assim, cuidado com os “mosquitos”. 
13. AS                         LEISHMANIOSES                                      SÃO                  DOENÇAS                           TRANSMITIDAS                                    POR                
VETORES (“MOSQUITOS”)  E  NÃO  SÃO  DOENÇAS  CONTAGIOSAS  (TRANSMITIDAS  POR CONTATO NATURAL: BEIJO, TOQUE, SECREÇÕES) 
14. COMBATEM-SE  AS  LEISHMANIOSES  COM  O  USO  CONSTANTE  DE REPELENTES, NO AMBIENTE DOMESTICO E NOS CÃES, DOENTES OU NÃO. 
15. Recomendamos fortemente o uso constante de repelentes que tem por base de Cipermetrina na formulação “Pour On”. Nesta formulação (oleosa), devem-se pincelar os locais infestados ou preferidos pelos mosquitos, mesmo dentro de casa: debaixo das camas, atrás dos armários, no arco  das portas e janelas,  e em peças  de madeira (armários, móveis etc). Este procedimento deve  ser repetido  mensalmente. Estes produtos são  baratos  (cerca de 8 a 15 reais, o  litro) e 
podem  ser  utilizados  diretamente  nos  cães,  MAS  NÃO  NOS  SERES  HUMANOS.  São produtos de baixa toxicidade nas doses recomendadas. Somente são encontrados em casas de produtos veterinários (não se encontram em pet shops). Aplicados em alvenarias e madeiras, 
estes  produtos  têm  efeito  residual  por  até  4  meses,  mas  recomendamos  que  as  aplicações sejam realizadas num intervalo menor do que 1 mês. 
16. Recomendamos  aplicar  inseticidas  nos  locais  habituais  para  o  cão:  casinhas,  varandas, debaixo de mesas etc. A pulverização pode ser feita com produtos que se diluem e água como, K-Otrine, Flytick, dentre outros, todos adquiridos em casas de produtos veterinários (e não em pet shops). Devem  ser  pulverizados  locais  escuros freqüentados  por  mosquitos:  casinha do cão, debaixo das camas, atrás dos armários, no arco das portas e das janelas. (Caso você tenha 
dificuldades  em  encontrar,  adquira  estes  produtos  através  da  internet  no  site www.agroline.com.br ou em agrotouro@hotmail.com. 
17. NÃO  RECOMENDAMOS  usar  animais  portadores  de  Leishmania  sp.  para  reprodução. Trabalhos científicos  recentes tem  demonstrado a presença de leishmanias na placenta e no sêmen de cães. Sugere-se que a fêmea possa se contaminar com o sêmen canino e que o feto possa nascer portador de Leishmania sp. 
18. Nos  animais  tratados  ocorre  uma  redução  (mas  não  eliminação  completa,  que  é  menos comum)  dos  parasitas  e  daí  o  tratamento,  juntamente  com  o  uso  de  repelentes  nos  cães, reduzir em muito  o risco  de  transmissão  ou nova  contaminação  da doença  pelo  cão  e  pelas 
pessoas que vivem ao redor do animal. 
19. O  “mosquito”  da  leishmania,  ao  contrário  do  mosquito  da  Dengue,  não  vive  e  nem  se reproduz em água. A fêmea põe seus ovos em terrenos férteis e relativamente úmidos (jardins, vasos, praças etc) daí a importância de manter estes locais limpos. 
20. Os trabalhos científicos também informam que a eutanásia de cães não resolve o problema da leishmaniose. Em locais em que a eutanásia foi ou está sendo aplicada, os filhotes de cães que substituem  os  animais  eutanasiados  têm  apresentado  uma  maior  propensão  a  desenvolver 
doença, pois quando se mata um cão e não se retira o “mosquito” transmissor, este irá picar outro  cão  ou  outro  ser  humano,  propagando,  assim,  a  doença  (o  que  tem  sido  verificado atualmente). E, para agravar a situação, quando um cão é eliminado, o proprietário coloca em 
seu  lugar  um  filhote,  que  é  muito  mais  sensível  do  que  um  animal  adulto  e  que invariavelmente  vem  a  apresentar  a  doença  muito  mais  cedo.  Além  do  mais,  trabalhos recentes  publicados  na  Europa  demonstraram  que  em  gatos  de  Portugal  e  Itália,  foram 
encontradas reações sorológicas entre 6 a 30% da população de gatos e de até 33% em ratos de rua. Em São Paulo, capital, foram encontrados morcegos portadores de Leishmania sp. 
21. O “mosquito” da leishmania tem  pequena  capacidade de vôo e dificilmente voa  acima  de 1 metro  de altura. Mas  como  ele  é  muito pequeno, pode ser  levado  por correntes  de  vento  a alturas muito maiores. Este “mosquito” voa até a uma distância de 200 metros de onde nasceu. 
Portanto,  cuide  também  dos  vizinhos  e  instrua-os  a  usar  inseticidas  em  suas  residências  e coleiras e outros repelentes em seus cães. 
22. A recomendação é  que as pessoas que  morem em  locais de risco  utilizem permanentemente telas mosquiteiras bem finas, principalmente  nos  quartos das crianças  e  das pessoas idosas, mantendo sempre a porta da casa e/ou dos quartos fechadas. 
23. É  FUNDAMENTAL  só  tratar  o  animal  depois  de  terem sido  feitos  os  exames  sorológicos tradicionais:  E.L.I.S.A.  e  R.I.F.I.  (Reação  de  Imunofluorescência  Indireta);  várias  doenças apresentam  sinais  clínicos  semelhantes:  Erlichiose,  Pênfigo,  Lupus  Eritematoso,  Babesiose 
etc. Os melhores exames, no momento, para o diagnóstico da LVC são a Punção de Medula Óssea e/ou Linfonodos (chamada de “PAAF”) e o PCR de Medula Óssea, além do qPCR e a Imunohistoquímica  de  pele  (todos  mais  caros).  Reforçamos  que  os  demais  exames 
complementares, após confirmada a Leishmaniose, são igualmente fundamentais: Creatinina, Uréia, ALT, Proteinograma e Hemograma. 
24. Animais que apresentam sorologia positiva para Leishmaniose mas não apresentam sintomas podem ser vacinados normalmente contra outras  doenças, desde que  se apresentem sadios e sem sintomas. Caso o animal apresente sintomas da doença, deve ser primeiramente tratado e 
depois deve tomar as vacinas para as outras doenças. 
25. O animal tratado e que venha a apresentar sorologia negativa (curado ?)  pode  apresentar recrudescência  da  doença  ou  ser  reinfectado  novamente,  principalmente  se  vive  em  região  endêmica.  Por  isso,  é  fundamental  continuar  com  o  acompanhamento  através  de  exames  e 
usar, para o resto da vida, repelentes, seja na forma de coleiras inseticidas, seja na forma de inseticidas oleosos para pele. 
26. E  lembre-se: não  há  respaldo  científico para  recomendar a  eutanásia  como  método de controle da leishmaniose. 
27. E MAIS: Você não é obrigado de forma alguma a entregar o seu animal aos fiscais da saúde pública. SEU CÃO É SUA PROPRIEDADE. Nem mesmo um Delegado de Polícia pode ir na sua casa e exigir que voce entregue seu animal. Para sua informação, um Delegado de Polícia 
ou um policial só podem entrar na sua casa com um mandado judicial ou com sua autorização. Se  alguém  (Delegado  ou  Fiscal  da  Saúde)  te  constranger,  não  deixe  de  anotar  o  nome  da pessoa para formular uma ocorrência  policial por abuso de autoridade e/ou constrangimento 
ilegal. Seja cidadão, exija seus direitos !!!! 
28. Se na sua cidade o  Centro  de Controle  de Zoonoses  eliminam  cães  NÃO DEIXE que estes agentes tenham acesso ao seu cão. Isso não é proibido. É exercício regular de direito!!!! 
29. Se alguém te constranger a entregar o seu animal, procure uma Delegacia de Polícia e registre um boletim de ocorrência (B.O.) alegando abuso de autoridade e/ou constrangimento ilegal e procure  a  Ordem  dos  Advogados do  Brasil –  OAB -  (Comissão  de  Direitos Humanos  e/ou Comissão de Meio Ambiente) e formule sua reclamação. 

domingo, 17 de julho de 2011

Feira de adoção do Pátio Savassi: 58 cães e 11 gatinhos encontraram um lar

Sucesso absoluto a feira de adoção de cães e gatos no Pátio Savassi. Em três dias de feira foram inúmeras as pessoas que visitaram os peludos disponíveis para adoção. Muitas dessas pessoas cairam de paixão e não conseguiram ir embora sem levar um peludo consigo. Foram 58 cães e 11 gatinhos adotados.

A adoção é coisa séria. Somente ao apresentar condiçoes emocionais e financeiras para dar guarida responsável ao bichinho escolhido é que o adotande pode levá-lo para casa em definitivo.

Vale contar que nossas queridas Pompéia e Rubi, apresentadas em fotos aqui no blog e na ocasião bastante machucadas quando resgatadas pela ASPAN SABARÁ, foram adotadas na feira do Pátio. Lindas e felizes partiram para seu novo lar.

O trabalho da ASPAN SABARÁ é cotidiano. Continuamos com quase cem cães abrigados. Todos os meses realizamos castrações em fêmeas para controlar a população de cães abandonados. Além disso, mantemos saudáveis e bem alimentados todos aqueles velhinhos que jamais conseguiram um lar definitivo. 
Abrace você também essa causa. Faça contato e torne-se um voluntário: aspansabara@gmail.com

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Vida de cachorro sem dono é osso. Adote.


O Pátio Savassi e a ASPAN estão brilhando na feira de adoção de cães e gatos. O stand dos peludos é pleno sucesso. Os voluntários estão se desdobrando de trabalhar. Coisa linda de se ver.
O slogan criado pelo Pátio é show: "Vida de cachorro sem dono é osso. Adote". 
Ajude-nos, divulgue a feira p/ seus amigos e mesmo que você não possa adotar, vá até lá e doe 2 reais. Além de alegria vc ganha uma pipoca.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Feira de Adoção no Pátio Savassi


Muitas pessoas adorariam ter um animalzinho de estimação em casa, mas argumentam que o condomínio onde residem não aceita cães ou gatos. Isso é um mito que merece ser publicamente derrubado. O direito à posse de um animal de estimação é garantido pela Constituição Brasileira, como  discorre a Lei. n° 4591/64 e art. 554 do Código Civil. Essa lei reitera que todos os cidadãos brasileiros têm o direito à propriedade de um animal de estimação. Portanto, é pura conversa fiada aquela que o ameaça dizendo que o condomínio ou o síndico não permitem animais no prédio. Isto é ilegal.  Uma convenção de condomínio não pode proibir o que é permitido pela Constituição, a lei maior do país. Sabendo disso você poderá ir até a feira de adoção que a ASPAN SABARÁ promoverá no Pátio Savassi nos dias 14, 15 e 16 de julho e escolher o seu animalzinho preferido. São muitos peludos que estarão lá a sua espera. Na nossa feira você poderá escolher um amigo para adotar e cuidar. Aproveite a oportunidade de encontrar o melhor amigo da sua vida. Lembre-se, a tutela consciente é o melhor presente para a natureza e a maior fonte de alegria para o adotante.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Os peludos também sentem frio

É quase inverno, as temperaturas cairam e nossos peludos sentem muito frio durante as madrugadas de Sabará.
Dormindo em canis de cimento e sem estrado de madeira, eles contam com o calor da matilha. Todavia, nem todos gostam ou aceitam aninhar-se perto de outros cães. Assim, para que não tenham uma pesada pneumonia, os voluntários da ASPAN providenciaram a campanha do cobertorzinho. Foram muitos os doadores e praticamente todos os peludos já estão aninhados, protegidos e quentinhos. Quer doar? Mande-nos um email.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Não compre um cãozinho, não deixe seu cãozinho procriar.


Nos últimos dias tomei conhecimento de duas histórias diferentes, mas com o igual teor. Duas famílias colocaram seus cãezinhos já idosos para adoção somente porque passaram a ter um bebê em casa.

Vejam que coisa triste, a família que reside em um apartamento de dois quartos compra um cãozinho e com ele convive por cinco ou mais anos. Repentinamente resolve se desfazer do animal porque a residência não comporta um cão e também um bebê. O que é que dá para concluir de histórias como essas? Muitas pessoas ainda pensam que um animal é um brinquedo e que pode ser aposentado ou largado de lado.

Tendo em vista tais situações, fica aqui um alerta: não compre um cãozinho por impulso. Lembre-se que a vida dele é longa. Saiba sempre que ele é um ser vivo e tem emoções, se você doá-lo ou abandoná-lo ele sofrerá muito.

Por último, não deixe seus cãezinhos procriarem. Muitas pessoas podem achá-lo bonitinho e até mesmo pedir um de seus filhotes. Porém, muitos desses filhotes poderão ser abandonados em um futuro muito próximo. Mesmo que isso não ocorra, existem muitos cãezinhos disponíveis para adoção. Reflita, não deixe o seu cãozinho procriar.

Vamos levar adiante a campanha de castração e de controle da natalidade canina. Vamos proteger e respeitar nossos animais. Chega de abandono.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Vejam algumas fotos da feira de adoção

Foto feita por Isabela Costa - imagem panorâmica da feira

Foto feita por Isabela Costa (voluntária) - uma das estações que abrigavam os peludinhos à espera de adoção

Foto feita por Isabela Costa - Animadores que fizeram a alegria dos peludos e dos visitantes

Foto feita por Isabela Costa - Mãe(pretinha) e filho (dourado) os dois ainda esperam adoção (precisam ser levados juntos)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Adotar um cão sem raça, mas com muita graça é a melhor e mais definitiva moda.


Nos dias 24 a 27 de março a Aspan Sabará realizou mais uma feira de adoção de cães e gatos. O sucesso foi absoluto. Ao todo, 48 peludinhos encontraram uma família amorosa e um lar definitivo. Foram adotados 35 cães e 3 gatos abrigados na Aspan Sabará e ainda 10 cães da CãoViver.

Muitos voluntários se revezaram no trabalho de cuidar dos cães, promover animações e ainda entrevistar os pais adotivos. Sem contar que a estrutura da feira montada no estacionamento do Minas Shopping, era de dar inveja a qualquer grande evento.  As tendas para proteger a todos do sol e do calor e as estações cercadas para abrigar os peludinhos garantiram a plena organização do evento. Os voluntários, uniformizados e dedicados, evidenciaram a seriedade com que nossos peludinhos são tratados. E as entrevistas pormenorizadas, feitas com os candidatos a levar um peludinho para casa, demonstraram que nosso intuito é promover vida digna aos cães e gatos.

Essa edição da feira mostrou-se mais uma vez um evento necessário e fundamental, pois lá, todos os amantes dos cães e gatos puderam olhar nos olhos dos peludinhos e deixar-se contaminar pela paixão vitalícia.

Mas, ninguém precisa esperar a próxima feira de adoção para encontrar um peludo para amar. Vale dizer que ainda temos muitos peludos abrigados na Aspan Sabará e na CãoViver e se você ou algum conhecido quiserem adotar, é só enviar um email para aspansabará@gmail.com. Divulgue essa ideia - ame um peludo sem raça, mas cheio de graça.

terça-feira, 22 de março de 2011

Portal Uol cria rede de informações para localizar cãezinhos perdidos

Depois que a mídia nacional deu ampla cobertura ao desaparecimento de Pimpo, aquele vira-latas que viajaria pela Gol e que foi perdido/esquecido no aeroporto de Porto Alegre por essa Cia aérea, o portal UOL resolveu publicar fotos e ajudar a encontrar cães perdidos em todo o Brasil. 
Basta que o proprietário do cãozinho envie um email para vocemanda@uol.com.br juntamente com a foto, nome e detalhes do peludo. De posse de tais informações o Portal UOL pretende criar uma rede de busca que apoiará os azarados ou os pouco cuidadosos donos a recuperarem seus amiguinhos peludos. 
Anote aí o email e lembre-se de oferecê-lo aos amigos que estiverem tentando recuperar um cão ou gato perdido.
Fica aqui os parabéns ao Portal Uol pela iniciativa.

quarta-feira, 16 de março de 2011

ORIENTAÇÕES DE COMO AGIR EM CASO DE MAUS-TRATOS A ANIMAIS (copiado da Cão Viver)

IMPORTANTE!! ORIENTAÇÕES DE COMO AGIR EM CASO DE MAUS-TRATOS A ANIMAIS

Caso você veja ou saiba de maus-tratos (ex.: envenenamento de animal; manter o animal em lugar anti-higiênico; mutilar um animal; utilizar este animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse; agressão física a um animal indefeso; abandono de animais; não procurar um veterinário se o animal adoecer etc.), não pense duas vezes: vá à delegacia mais próxima para lavrar boletim de ocorrência ou, se preferir, compareça ao fórum para orientar-se com o Promotor de Justiça (Promotoria de Justiça do Meio Ambiente em BH:031-3292-8736 / SP:011-3119.9524). 

A Denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal n.º 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais). Anote o número dessa lei e carregue-a consigo.

Preste atenção a esta dica: leve junto a você uma cópia do número da lei (no caso a 9605/98) e do art. 32, porque em geral a autoridade policial nem tem conhecimento dessa lei.

Assim que o Policial ou Escrivão ouvir seu relato sobre o crime, a ele cumpre instaurar inquérito policial. Se se negar a fazê-lo, sob qualquer pretexto, lembre-o que ele pode ser responsabilizado por crime de prevaricação, previsto no art. 319 do Código Penal (retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal). 

Caso não tenha sua denúncia acatada, faça contato com o Ministério Público (Denúncia ao Ministério Público - Tel: MG(0**31)3292-8736 / RJ (0**21) 2261-9954 / SP (0**11) 6955-4352) - Não desista em função das barreiras burocráticas.

Se você tiver em mãos fotografias, número da placa do carro que abandonou o animal, laudo veterinário, qualquer prova, leve para auxiliar no seu B.O.

NÃO TENHA RECEIO PORQUE VOCÊ NÃO SERÁ O AUTOR DO PROCESSO JUDICIAL, QUE PORVENTURA FOR ABERTO A PEDIDO DO DELEGADO!

Preste atenção: O Decreto 24.645/34 reza em seus artigos 
1º: Todos os animais existentes no país são tutelados pelo Estado; e 2º - parágrafo 3º: Os animais serão assistidos em juízo pelos representantes do Ministério Público, seus substitutos legais e pelos membros das Sociedades Protetoras dos Animais. 
Isso quer dizer que não é você quem irá abrir um processo judicial. Uma vez concluído o inquérito para apuração do crime, o Delegado o encaminhará a Juízo para abertura de ação, onde O Autor da ação será o Estado.

Se o crime for contra Animais Silvestres (Animal Silvestre: são todos aqueles animais pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham a sua vida ou parte dela ocorrendo naturalmente dentro dos limites do Território Brasileiro e suas águas jurisdicionais (fonte: www.renctas.org.br), pode também dar ciência às autoridades policiais militares, mas, em especial, à Policia Florestal, onde houver, ou, SE PREFERIR, ligue para o IBAMA (Tel: 0800-618080 - ligação gratuita "Linha Verde"), ou escreva para o RENCTAS e-mail: renctas@renctas.org.br.

Tenha também em mãos o telefone do Disque-denúncia (2253-1177) que também recebe denúncias sobre maus-tratos, tráfico de animais, envenenamentos, trabalhos forçados, espetáculos que praticam abusos e maus tratos (circos, rodeios, brigas de cães e galos, etc...).

Uma outra dica também muito importante: Você sabia que as Associações de Bairro representam uma força associativa que pode provocar as autoridades na tomada de atitudes concretas em prol da comunidade?

Pois é, com o advento da Lei 7.347,de 24.07.85, essas associações, qualificadas como entidades de função pública, podem ingressar em juízo na proteção dos bens públicos para preservar a qualidade de vida, inclusive com mandado de segurança(Constituição Federal,art.5º, LXX, "b") para a preservação desse bens e a fauna é um patrimônio público.

Portanto, se o seu bairro estiver organizado em Associação, procure-a e peça que alguém o acompanhe até a Delegacia ou ao Fórum mais próximo.

Não se esqueça também que o B.O. pode ser feito, dentro da Grande São Paulo, pela internet, http://www.seguranca.sp.gov.br/; 
basta preencher o B.O. na tela do computador e, em até 30 minutos, a Polícia entrará em contato para a confirmação das informações prestadas. A partir daí, o B.O. estará disponível para cópia via impressora.

Em Belo Horizonte, o B.O. poderá ser feito em qualquer Delegacia de Polícia ou entre em contato com a Polícia do Meio Ambiente. (0**31)2123-1637.

domingo, 13 de março de 2011

Disse George Angel, fundador da SPCA EUA

"Quando sou questionado por que gasto tanto do meu tempo e dinheiro falando sobre os animais, quando existe tanta crueldade com os homens, respondo: estou trabalhando na raiz do problema."
Fica o convite: faça isso você também. Seja um voluntário e protetor.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Doadores e apoiadores, obrigada!

Dia desses uma amiga disse-me: _ pode ser chato ficar pedindo doações para um abrigo de cães quando há tantas pessoas a sofrer no Brasil. A resposta a essa opinião é simples. O mundo é vasto, todos os seres são vivos e todos eles precisam de cuidados e de dedicação. Todos nós devemos e podemos abraçar uma causa, desde que ela seja para melhorar nosso ambiente. Desde que seja uma causa legítima. Algumas pessoas dedicam-se aos asilos, outras às crianças abandonadas, há aqueles que se dedicam aos enfermos. Nós escolhemos cuidar dos peludos abandonados por vocação e por amor. Temos orgulho, muito orgulho em canalizarmos energia para esse fim.
Vale ressaltar que temos ainda mais alegria quando nos deparamos com pessoas que assim como nós, acreditam que esse trabalho vale a pena. Esse post nasce hoje como um agradecimento muito especial a uma turma que vem nos apoiado constantemente e que tem acreditado em nosso trabalho. São eles: Anderson, Ana Ledic, Antônio Brito, Ana Cristina, Caio e Carol, todos funcionários da ALMG.Esses amantes dos animais domésticos tornaram-se doadores da ASPAN SABARÁ. Eles nos ajudaram a quase completar a cota de dinheiro para a aquisição dos  vermífugos, carrapaticidas e sarnicidas para os 104 peludinhos abrigados na ASPAN SABARÁ. Obrigada turma! O mundo precisa de corações assim.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Como manter um abrigo para cães? Você sabe a resposta?

Muitas pessoas gostam de cães e/ou gatos. 
Muitas pessoas ficam comovidas quando veem cães e/ou gatos em sofrimento e abandono.
Muitas pessoas pensam que as associações protetoras de animais deveriam recolher os bichinhos abandonados pelas ruas.
Mas, poucas são as pessoas que têm consciência que para uma associação sobreviver é preciso dinheiro, dedicação e amor.


Podemos lhes contar que por muitos e muitos anos a ASPAN SABARÁ sobreviveu do árduo trabalho, do investimento financeiro e da dedicação de alguns poucos voluntários, em especial: Vera e Renato.


Todavia, também é imprescindível dizer que encontrar novos doadores e novos e engajados voluntários é fundamental para a manutenção desse ideal que prima pelo bem coletivo. Para conseguirmos manter esse trabalho cada vez melhor e mais amplo, precisamos de mais voluntários, novos e constantes doadores e incansáveis apoiadores. Essa é a mais pura verdade.

  • Por exemplo, imagine o que seja vermifugar e aplicar carrapaticida e sarnicida em 104 peludinhos e peludões. Isso custa uma grana, além de muito trabalho é claro.
  • Imagine o que seja vacinar 104 peludinhos e peludões, tratar de ferimentos, diarréias, entre outras "ites" que acometem nossos amiguinhos e que exigem adequado tratamento.
  • Imagine o que seja dar banho nessa galera (shampoo, sabões, etc), imagine que não temos máquina de tosa... 
  • Pois é. Assim é um abrigo para cães. 
  • Apesar disso, é lindo, é limpo, é harmônico, é feliz!

Se você sente-se tocado pela causa, pense em nos ajudar. 


Não fique preocupado com o quê ou quanto doar. Precisamos de apoio. O que estiver ao seu alcance será recebido amorosamente.
Caso queira doar dinheiro, deposite a partir de 5 reais no banco CAIXA - CONTA 1050-4  AGÊNCIA 1742 - CNPJ 049189680001-5.
Gostaríamos muitíssimo de contar com um grupo fiel de doadores mensais. Assim, se você acha que consegue doar cinco reais por mês, maravilha! Deposite-o. Se acha que pode colaborar com mais, idem. Faça o que o seu coração, o seu bolso e a sua consciência permitirem.
Caso queira oferecer remédios, máquinas de tosa, mão de obra como veterinário ou tosadar, entre em contato conosco. 


Caso queira visitar nossos peludos e quem sabe até adotar um deles, mande-nos um e-mail. Estamos logo ali em Sabará.


Graças a Deus e ao esforço dos voluntários da Associação, temos ração garantida para toda a galera abrigada na ASPAN SABARÁ.Todavia, ainda precisamos de muito mais.
Fica aqui nosso convite para que você favoreça a continuidade desse lindo trabalho. 
Lembre-se, assista ao vídeo que mostra o ambiente físico e o trabalho da Associação, em especial, observe o belíssimo trabalho de castração de fêmeas. 

Envie o link do nosso blog para todos os seus conhecidos que gostam dos amigos peludos. 

Vamos fortalecer essa rede de apoio. Se conquistarmos um número de fiéis doadores e colaboradores, poderemos programar melhor e mais adequadamente esse trabalho.
Venha hoje mesmo fazer parte do time dos amigos dos peludos de quatro patas.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A cura: Rubi ontem e hoje

Toda vez que a Aspan Sabará resgata um peludo abandonado e exposto a maus tratos, os nossos anjos da guarda, Cinthya, Renato e Vera, entram em ação. Suas mãos bondosas e mágicas conseguem mais que cuidar, conseguem curar e devolver a alegria aos nossos amiguinhos. Esses voluntários do bem oferecem seu tempo para levar saúde aos animais domésticos abandonados. Se você se interessa por essa causa, entre em contato conosco.
Veja a recuperação de Rubi.
Rubi foi resgatada assim.

E ela já está assim. Esse é o resultado do carinho e do adequado tratamento.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Palavra de mãe

"Eu sou essa fêmea bicolor simpática e feliz, apelidada de raposinha. Meus seis filhos, clicados pela titia Cínthya, são apaixonantes e lhe farão muito feliz. Palavra de mãe. De coração aberto, eu permito que você escolha entre meus filhotes aquele que lhe parecer mais amável (vai ser  uma tarefa difícil, todos são encantadores. E mais, vermifugados, bem alimentados, não poderiam ser mais perfeitos). Venha nos conhecer, moramos aqui na ASPAN SABARÁ com mais 104 amigos peludos, mas estamos doidos para ir para a capital com você."



quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Olha só a beleza da Pompéia

Em um post de início de janeiro, mostramos as fotos da cachorrinha Pompéia bastante ferida. Nem vamos detalhar o fato, pois ele é uma história que ficou para trás. Pompéia está a coisa mais linda, totalmente recuperada e prontinha para morar na sua casa. Adote-a, você terá a mais fiel e carinhosa companheira.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Mais uma peluda resgatada pela ASPAN SABARÁ

Nessa caminhada em defesa dos animais, acompanhamos de perto histórias de maus tratos e de abandono. Todos os dias, em muitas esquinas, são inúmeros os animais domésticos que perambulam machucados, famintos e mesmo assim ávidos por viver perto dos humanos.

Esta semana a ASPAN SABARÁ resgatou uma cachorrinha que batizamos de RUBI. Uma cachorra adulta, porém jovem, de porte médio para grande, pelagem curta e cor marron/avermelhada (daí o nome RUBI). Ela estava com um extenso ferimento na boca, mais precisamente no lábio inferior. O ferimento era tão profundo que mostrava o osso e já continha miíase. Ao ser resgatada, RUBI foi sedada e recebeu anestesia local. O ferimento foi adequadamente tratado e esperamos que dentro de um mês essa dor seja apenas uma história.

Mesmo em estado de intenso sofrimento, os peludos nunca perdem a esperança ou a confiança nos homens. O mais tocante, é que mesmo sedada para limpeza do ferimento, RUBI fazia um enorme esforço para abanar a cauda em sinal de agradecimento e amizade. A fidelidade, o amor incondicional e a capacidade de agradecimento dos animais domésticos são o mais puro sinal de que nós humanos também devemos e podemos, sempre e a qualquer momento, aceitar o gesto do outro e agradecer aquilo que recebemos.

RUBI é um sinal de amor e você pode levá-la para a sua casa tão logo ela esteja plenamente recuperada. Faça contato conosco.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Em 7 minutos de vídeo, você conhecerá o ambiente físico e as ações da ASPAN SABARÁ

CLIQUE NO LINK - EM ALGUNS MINUTOS VOCÊ CONHECERÁ A ASPAN SABARÁ.

OBSERVE A CIRURGIA DE CASTRAÇÃO E O ATENDIMENTO À COMUNIDADE LOCAL.

NO VÍDEO, OBSERVE QUE OS CÃES FICAM EM CANIS JUNTAMENTE COM CINCO A OITO AMIGUINHOS. SÃO MUITOS CANIS COLETIVOS E ALGUNS INDIVIDUAIS. 

OS CANIS SÃO ABSOLUTAMENTE LIMPOS E BEM CUIDADOS E ACOLHEM 127 ANIMAIS.

DIVIRTA-SE COM A HORA DO RECREIO, QUANDO TODOS OS MAIS DE CEM CÃES DA ASSOCIAÇÃO SÃO SOLTOS DE SEUS CANIS, E BRINCAM ALEGREMENTE PELO PÁTIO DA ASPAN.

CLIQUE E VEJA A BELEZA E A GRANDEZA DO TRABALHO REALIZADO.

ASSISTA. CONHEÇA, DIVULGUE, APÓIE....


http://www.youtube.com/watch?v=Dg2FDBS0STg

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Individualismo, consumismo e hedonismo...

Uma reportagem do Jornal Estado de Minas de 20/01/11 relata que a PBH gasta cinco milhões ao ano para capturar cães soltos pela cidade, examiná-los, castrá-los, chipá-los e devolvê-los às ruas. A estimativa é de que existam em torno de trinta mil cães abandonados em BH. Com tantos cães sem teto, as ONGs vivenciam a superlotação e a Prefeitura diz não ter nenhuma previsão de criação de abrigos permanentes para os nossos queridos peludos.

Aí está um ponto de indagação, será que a sociedade tem que repassar ao poder público essa tarefa? É evidente que vivemos uma crise de carências. Pessoas desabrigadas, idosos abandonados, crianças jogadas em abrigos e nas ruas. Desalentados de todo tipo e espécie amontoam-se à margem da sociedade. Muito mais que a carência econômica, enfrentamos a carência de solidariedade e de coletividade. Os males do século, como sentencia Lipovetsky, são o individualismo o consumismo e o hedonismo. Esses três "ismos" encarceram a sociedade em um comboio autodestrutivo. A velocidade do desejo e a volatilidade da satisfação parecem indomáveis. Somos reféns da cegueira e da insatisfação coletiva.

Contextualizando o cenário social com tema de nosso blog, podemos dizer que sujeitos recobertos de individulismo, consumismo e hedonismo, do dia para a noite, decidem comprar o cãozinho da moda. Nesse momento o hedonismo impera. O desejo momentâneo é desfilar com um brinquedo vivo. Sem lembrarem que o bichano tem uma pilha que o manterá vivo por, pelo menos, dez anos, a “aquisição” é feita. Em um ato impensado, o peludo passa a residir com tais sujeitos. Após seis a doze meses aquele peludo já não oferece mais nenhuma satisfação, mas sim certo trabalho. Nesse momento eles decidem liberar-se daquela companhia. O bichinho, inocente e carinhoso, cai nas ruas e passa a fazer parte da estatística de animais abandonados. Essa é uma dura e verdadeira realidade. Ainda que tenhamos muitas e muitas pessoas amáveis e dispostas a ajudar, notamos que o caminho que conduz nossa sociedade ao futuro é questionável. Precisamos nos revestir de valores, sendo a solidariedade e o pensamento coletivo os mais urgentes. Quando todos se responsabilizam por aquilo que está ao seu redor, respeitando e zelando, a harmonia impera. Do contrário, o desalento avança.

Nesse sentido, fica aqui a nossa dica: a castração pode até mesmo ser gratuita nos centros de zoonoses da PBH, repliquem essa ideia para seus conhecidos. Muito sofrimento pode ser evitado com o controle da natalidade canina.

Fica também o nosso alerta: um cão é uma vida e não um brinquedo para ser abandonado, multiplique esse conceito e evite que os individualistas abandonem seus peludos. Dê bons conselhos aos seus amigos e conhecidos para que eles cuidem de seus cãezinhos desde o primeiro até o último dia de suas vidas.

Reiteramos nossa esperança naqueles de coração bondoso e acolhedor: adote, ame, proteja os animais. Na ASPAN SABARÁ são muitos peludos que estão à sua espera.

Além disso, a notícia boa é que conquistamos mais uma colaboradora cotidiana para a ASPAN SABARÁ: a Isabela. Disposta a doar sua mão de obra em prol da nossa causa, ela estará presente na realização de fotos e na administração dos e-mails. Agora, além da diretoria da ASPAN SABARÁ, já somos 4 (Aninha, Cinthya, Isabela e Margarete) para movimentar a causa e levar apoio aos nossos queridos amigos peludos.Venha você também fazer parte desse time.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Pompéia está curada

Para quem leu a história que publicamos aqui sobre a cachorrinha Pompéia, encontrada com um enorme machucado na cabeça, vai aqui uma notícia feliz. Vejam nas fotos abaixo o resultado dos cuidados oferecidos a ela pela ASPAN SABARÁ. As primeiras fotos mostram um machucado cicatrizado e a quase ausência da marca do ferimento. O quadro com as três fotos evidencia o ferimento nos primeiros dias em que ela chegou na ASPAN, além de um segundo momento de cicatrização.

Observem como o cuidado e o carinho apagam todas as marcas infelizes que vez ou outra acometem nossos caminhos. Que a história da Pompéia nos toque como mais uma lição: sempre é possível resgatar, curar, cuidar, amar e restabelecer a harmonia e a beleza. Pompéia agradece e agora espera por um lar adotivo e amoroso.
Em 15 de janeiro o ferimento praticamente inexiste.

Pompéia voltou a ser feliz e a acreditar nos homens

3 momentos do tratamento de Pompeia. A 1ª foto evidencia o machucado aberto. A 3ª foto mostra o machucado cicatrizando. Comparando estas 3 fotos, com as 2 atuais nota-se a recuperação total.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Adoção - publicado no Jornal da Pampulha em Dezembro/2010


Quer apoiar a ASPAN SABARÁ - deposite mensalmente qualquer quantia, a partir de R$10,00, na CAIXA - CONTA 1050-4  AGÊNCIA 1742
Estou na ASPAN SABARÁ lhe esperando

Já desmamamos e estamos à sua espera na ASPAN SABARÁ

Eu também estou esperando pais adotivos. Venha me buscar na ASPAN SABARÁ

Celebridades e anônimos se juntam em defesa de animais abandonados e incentivam a adoção - Publicada no jornal Pampulha - Por Letícia Murta
Um cachorro deitado em um canto da rua, maltratado e desnutrido. Uma cena comum nos grandes centros urbanos. Tão corriqueira que não chama a atenção da maioria das pessoas. Mas foi justamente deste cenário que surgiu o melhor amigo do repórter do programa "CQC" Danilo Gentili. Passando de carro com a mãe, o repórter viu o cachorro imóvel e se aproximou para socorrê-lo. O cão havia sido espancado e teve lesões que o deixaram paralítico. Hoje, recuperado, Dentinho usa uma cadeira de rodas adaptada para animais e alegra a vida da família Gentili. Dentinho ganhou um lar e os inúmeros animais abandonados, um defensor. "Tem um monte de animal precisando de alguém para cuidar, para que comprar? Eu acho que isso é muita frescura."

O humorista faz piada com quase tudo, mas leva muito a sério a causa animal. Danilo, que já adotou outros animais com necessidades especiais, tem posicionamento severo com relação à venda de bichos. "Para mim é baixaria vender animal. Quem vive disso então, considero um erro. Prender um animal em uma gaiola, tirá-lo da mãe e vender? Poxa, vai trabalhar!", afirma.

Conscientização
Gentili não está sozinho na luta. Rejeitados por muito tempo, os famosos vira-latas ganham espaço nos lares e corações. A causa se fortalece a cada dia e personalidades do mundo todo assumem sua simpatia pelos animais de rua. Além de optarem pela adoção no lugar da compra, artistas e celebridades vestem a camisa para conscientizar sobre a importância da causa.

A cantora Fernanda Takai, além de apaixonada por bichos, é uma protetora assumida de animais. Engajada na causa, Fernanda adotou duas cadelas, Branquinha e Tatá, da Organização Não Governamental Cão Viver e espera que o aumento da visibilidade dos abrigos e ONGs possa sensibilizar novos adotantes. "Minha sugestão é as pessoas visitarem um abrigo. Com certeza vão pensar mais antes de escolher um bicho de estimação. Além de ganhar um amigo pra toda a vida, nos tornamos um elemento multiplicador dessa ideia", afirma.

A vocalista da banda Pato Fu acredita que a consciência da importância da adoção está no conhecimento do sofrimento e privações a que os animais sem donos são submetidos. "No passado, ganhei bichinhos de presente e comprei também, mas, desde que adotei as cachorrinhas que tenho, me comprometi em não mais comprar qualquer animal. Há muitos deles precisando de uma casa e carinho. Quando a gente visita os abrigos, fica muito tocada com a necessidade que existe de mais gente adotar esses seres que geralmente são as melhores companhias que podíamos ter", disse.


Anjos anônimos e célebres pela causa

Artistas como Miguel Falabella, Isis Valverde, Hebe Camargo, Betty Gofman, Sheron Menezes e os internacionais Paris Hilton, Sandra Bullock, Justin Bieber e Drew Barrymore adotaram animais sem raça ou com necessidades especiais . Em blogs, redes sociais e revistas, esses artistas declaram a paixão pelo seus animais e contam histórias que poderiam ter um final triste, mas foram o início da construção de amor e amizade entre humanos e animais.

Mas nem só de famosos vivem os animais de rua e anjos anônimos são responsáveis pelo resgate e encaminhamento de um novo lar para centenas de bichos. O brasileiro é apaixonado por cachorros e o país tem a segunda maior população de cães domesticados do mundo, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfal Pet). Os adoradores do animal chegam a pagar mais de R$ 1.000, dependendo da raça e do pedigree. O problema é que existem outros 20 milhões de cachorros que vivem nas ruas, segundo estatísticas da Organização Mundial de Saúde.

Amor
Atuante na causa há mais de 20 anos, Carla Roberta Magnani faz parte do Grupo SOS Bichos, uma união de protetores de animais de rua, e atua também na educação e conscientização pela guarda responsável de animais. O grupo está em vias de se tornar uma Organização Não Governamental (ONG), mas enquanto isso não acontece realiza trabalhos para cuidar de cães e gatos abandonados e, muitas vezes, doentes e feridos para, depois, encaminhá-los a um lar.

Carla conta que quando as pessoas tomam conhecimento da verdadeira situação de abandono de cães e gatos, a comoção muda a maneira de pensar. "Na maioria das vezes, as pessoas querem um determinado padrão de cão ou gato, mas ao se deparar com tantas opções para adoção, alguns critérios como sexo ou aparência física ficam de lado e uma pessoa que queria em princípio uma fêmea, pode adotar um macho", garante. De acordo com ela, a ONG só consegue ajudar os animais porque conta com a colaboração financeira e a dedicação de voluntários. A artista plástica Cecília Delfim, 49, se comoveu com a situação dos animais à espera de um lar e passou a integrar a ONG Cão Viver como voluntária. A artista ajuda no banho dos animais, limpeza do local e ajuda a cuidar dos cachorros doentes. Convivendo com mais de cem animais, a artista não resistiu à adoção. "Vi uma linda cadelinha marrom de olhos verdes dentro de uma gaiolinha separada, foi amor à primeira vista, como era fofa!", lembra.
A empresária Patrícia Carvalho recolhe animais na rua e, depois de castrar, vacinar e tratar possíveis doenças, disponibiliza os bichos para a adoção. Como nem sempre consegue lar para os peludos, Patrícia hoje possui seis cachorros em casa e conta com o apoio da mãe, Solange Carvalho, para resgatar e oferecer amor. "Todos os animais que estão conosco, tínhamos a intenção de arrumar um lar, como já fizemos com vários, mas como eles exigiram maior cuidado por estarem bastante doentes, ficamos com eles por mais tempo. Quando eles já estavam recuperados e saudáveis não tivemos coragem de colocar para adoção", conta.

Maus tratos

Amante de cães, a administradora de marketing Adriana Torres, 38, optou pela adoção de uma vira-lata que foi abandonada na porta da casa de uma amiga. A cadela Meg, que chegou subnutrida, com parasitas e triste, hoje tem dois anos e é a alegria da casa. "Aprendi que, assim como nós, o que vale é a essência desses seres, não a raça inventada pelo ser humano. Graças a Meg, hoje sou totalmente contra o comércio de animais, pois percebo que este é um dos maiores culpados pelo abandono e maus tratos que eles sofrem ao se tornarem objetos comercializáveis na visão das pessoas", garante.

A jornalista e publicitária Cláudia Amaral, 26, não estava pensando em adquirir um novo animal, já que possuía uma rotweiller, a Ghaya, mas o destino colocou à sua frente uma cena de abandono e crueldade. Realizando um trabalho em Lagoa Santa, Cláudia presenciou uma garota jogar um filhote de cachorro no bueiro. Correu para salvar o bichinho e acabou ficando com ele. "Passei o dia todo com a pequenina, dei água, dei um pouco de comida. A cachorrinha parecia ter alguns dias e estava muito fraca. A levamos ao veterinário e descobrimos que, além dos vermes e da desidratação, ela estava com uma anemia profunda", lamenta. Cláudia conta que ficou com a cadelinha, que foi adotada por toda a família, inclusive pela rotweiller. "Com tratamento, a Shiva está aqui em casa, saudável e sempre muito agitada", comemora.

Encontre seu amiguinho online
- http://caesdesabara.blogspot.com (Inserido agora, por ASPAN SABARÁ)
- redeestimacao.blogspot.com
- caopartilhe.com
- sosbichos.com.br
- petmg.com.br
- caoviver.com.br